Programação Automática Programação Automática

Central de Recados

Envie-nos seu recado ou peça sua música aqui!
Seu nome deve conter apenas letras!

Eletricista constrói mais de 340 abrigos para cães em Cachoeirinha

Data da Noticia 02/10/2019
Casas são feitas a partir de doações e mão de obra gratuita.

Em pouco mais de um ano da criação do Projeto Casinhas Azuis, em Cachoeirinha, mais de 340 abrigos já foram fabricados e distribuídos para acomodar cães comunitários, de rua e recém-adotados. A produção das casinhas é feita pelo eletricista Felipe Meireles, 50 anos, que também se aventura no ramo da marcenaria. A matéria-prima é 100% resultado de doações e a mão de obra, segundo ele, totalmente gratuita. “Eu faço pelo amor aos animais.” 

O projeto iniciou-se depois que uma professora pediu ajuda para abrigar um cachorrinho de rua que estava nas proximidades da escola. “A partir daí, comecei a produzir e não parei mais. De 50 pedidos, eu consigo atender 20. Temos casinhas espalhadas na região Metropolitana, no Litoral Norte e até em Santa Catarina. Trabalhamos em conjunto com a rede de protetores de animais local. Os abrigos são fornecidos para aqueles cães que são castrados e estão com as vacinas em dia,” conta.

Meireles explica que o nome do projeto se deu em função da primeira doação de tintas, na cor azul. “Contamos com apoio de empresas daqui e de Porto Alegre que doam as caixas de madeira. Temos doação de pregos e telhas. Há pouco, perdemos a parceria que nos auxiliava com a conta de luz. Por isso, agora, todo mês promovemos um brechó para angariar fundos”, disse Meireles. “Todos os envolvidos participam de forma voluntária. É por amor mesmo. Sem dúvida este trabalho é referência para 1,8 mil voluntários gaúchos e protetores de animais que castram, medicam e encaminham os cães para adoção.” 

A Prefeitura de Cachoeirinha é outra parceira, pois apoia a instalação dos abrigos em via pública e ajuda no recolhimento de sobras de madeira no entorno da residência de Meireles, para o descarte mais adequado. Interessados em ajudar no projeto podem entrar em contato pelo telefone (51) 98264-9549.

  • Autor: Fernanda Bassôa/Correio do Povo
  • Imagens: Fernanda Bassôa / Especial / CP

Todo o conteúdo desta coluna é de total responsabilidade de seu autor(a)/publicador(a)!


Todas imagens