Agora: Programação Musical Com: Programação Automática Agora: Programação Musical Com: Programação Automática

Central de Recados

Envie-nos seu recado ou peça sua música aqui!
Seu nome deve conter apenas letras!

Sobre o Liberalismo

Data da Noticia 01/10/2018

Tomei um choque, digamos assim, lendo o livro que leva o título “Contra-História do Liberalismo”, do finado filósofo Domenico Losurdo. Respondo o porquê domeu espanto.

Teoricamente o liberalismo defende as liberdades individuais, o auto-desenvolvimento do homem, a livre iniciativa, a liberdade econômica e todas as liberdades possíveis. Dentre tantos autores, se destacam o economista Adam Smith, os filósofos Alexis Tocqueville e John Stuart Mill.

Porém, todos esses autores, de alguma forma defenderam a escravidão, seja de forma mais branda como Stuart Mill, que defendia uma escravidão temporária para povos ditos bárbaros, ou como outros autores que a defendiam abertamente. Ou ainda, Tocqueville defendia a não participação das mulheres na vida pública. Pois é, para os ditos liberais a democracia e a liberdade plena eram para homens e brancos. Nas terras da liberdade, como nos Estados Unidos, imperava a escravidão. Negros eram brutalmente castigados e até mortos. Tidos como propriedades absolutas de seu senhor. Poucas ou nenhuma das leis garantia sua dignidade. No século XX o racismo também era forte, havia uma segregação racial gigante; escolas só para negros, lugares nos ônibus destinados para separar negros dos brancos, enfim, na terra da liberdade eram poucos os que tinham o direito de ser livres.

Hoje, 2018, século XXI, nos Estados Unidos, terra da liberdade, o presidente Donald Trump separa crianças de seus pais pelo simples fato de exercem a liberdade de migrar. A terra da liberdade não é tão livre assim e talvez nunca tenha sido.

Para tanto, seguindo a linha de pensamento de Losurdo, o liberalismo sempre defendeu as liberdades individuais... de homens, brancos e, preferencialmente, para homens ricos. O povo pobre não desfruta das maravilhas do liberalismo prático, não desfruta da tal da liberdade econômica, do auto-desenvolvimento. A classe trabalhadora precisa da intervenção do Estado, de políticas de inclusão e afirmação. O resto, é conversa...

  • Autor: Adilson Junior Pilotto
  • Imagens: Ilustrativa

Todo o conteúdo desta coluna é de total responsabilidade de seu autor(a)/publicador(a)!


Todas imagens