Agora: Parada Pop Com: Programação Automática Agora: Parada Pop Com: Programação Automática

Central de Recados

Envie-nos seu recado ou peça sua música aqui!
Seu nome deve conter apenas letras!

O Rock n’ Roll de Paulo Casarin

Data da Noticia 23/10/2016

           

            Hoje a nossa coluna vai se diferente do que vocês estão acostumados, não faremos a análise de letra de música, mas uma linha do tempo da trajetória de um artista.

            Prestes a completar 50 anos de carreira o artista da nossa região recebe o carinho de seus fãs e dos amantes do Rock do Alto Uruguai gaúcho. O sorriso no rosto e disposição são marcas de Paulo e se tiver um violão por perto não nega em apresentar uma canção.

            Nascido em Aratiba, a exatos 63 anos, Paulo Casarin ainda criança ganhou seu primeiro instrumento musical: um acordeão de seu pai. Logo após, mudou-se para Erechim, onde passou a estudar o instrumento, juntamente com o piano na Escola Municipal de Belas de Artes da cidade.

            O início da sua carreira foi tocando em conjuntos que animavam bailes e como ele nos conta “conjunto de bailes que tocava Beatles, Rolling Stones”.

            Segundo Enori Chiaparini, historiador, músico e amigo pessoal do artista, relata que Casarin “Pilotava os teclados com tanta desenvoltura que não temos dúvida que ele é o tsunami dos teclados”.

            Sua primeira banda foi com seu irmão, Sérgio Casarin, The Jet Boys, em seguida ingressou na King Boys, a banda da escola Marista Medianeira onde estudava, até o famoso dia em que saia da escola e foi parado por uma Kombi, dela saltaram os moços que o convidaram para se juntar aos já músicos Pedrinho e Naudi e fazer parte da Banda The Crazy Boys, onde ficou por quatro anos.

           Nem mesmo o serviço militar obrigatório afastou dos palcos, partiu para Alegrete cumprir o chamado com país e lá encontrou uma banda que o acolheu, na volta a Erechim se une a banda “Os Explosivos”.

 

Os Explosivos 1973 no clube CER. Atlântico (Erechim) – Paulo Casarin, Sérgio Intkar. Paulo Souza, Olmiro Marcondes e Flademir Fitarelli Bidico

 

            A carreira nacional desponta a partir do final dos anos 1970 quando Casarin coloca a mochila nas costas e parte para o Rio de Janeiro. Na cidade maravilhosa tocou na Banda Vento Sul e na Banda Bicho da Seda, com Mauro Kwitiko. Paulo resume sua careira em “sempre no rock and roll”, em seguida parte para São Paulo onde tocou na Tutti Frutti (ex banda de apoio de Rita Lee) nos anos 1981 e 1982.

            No ano de 1983 Paulo passa a fazer parte da banda de Pepeu Gomes quando rodou o Brasil e o mundo fazendo shows, dentre eles duas vezes no Rock in Rio, Festival de Jazz de Montreux (1985 e 1989) e o Festival Internacional del Caribe em Cartagena em 1989. Gravou com Pepeu grandes sucessos, como “Mil e uma noites de amor” e “Ela é demais”.

 

Paulo Casarin, Pepeu Gomes e banda

            Com a banda Garotos da Rua ele gravou dois discos, o segundo “Dr. em Rock 'n' Roll” de 1987 e o terceiro “Não Basta Dizer Não” de 1988. Com a banda emplacaram “Eu já sei”, tocada na novela Mandala da Rede Globo.

 

Paulo Casarin e Garotos da Rua

 

             Em 1993, Casarin lança seu disco solo, intitulado “Paolo Casarin”. De 1995 a 1997, integrou a banda Engenheiros do Hawaii, onde participou do disco “Simples de Coração”, masterizado em Los Angeles, no mesmo disco, compôs duas músicas em parceria com Humberto Gessinger, a famosa “A Promessa”, e “Lado a Lado”.

Paulo Casarin e Humberto Gessinger na masterização do Álbum “Simples de Coração” em Los Angeles

 

Paulo Casarin e Engenheiros do Hawaii – Humberto Gessinger e Carlos Maltz

            Após um acidente de carro com Humberto Gessinger, a banda Engenheiros do Hawaii deu um tempo dos palcos. O que fez com que Casarin voltasse ao sul, quando produziu dois discos da Bandalheira “Quinze anos” e “By Flowers”, também tocou por 2 anos com Charles Master (TNT). Gravou também disco da Banda Automóvel Verde.

 

Paulo Casarin, Charles Master e Banda

           

            Hoje continua na música realizando trilhas sonoras para filme, a exemplo disso, gravou “Os Segredos de Fátima” ao lado de Charles Gavin (RPM – Ira!), Eduardo Queiroz, Tony Bellotto (Titãs), e contou com a participação de Anderas Kisser (Sepultura), na gravação. Para o filme “Bellini e a Esfinge” de Roberto Santucci (2002), shows e apresenta o Programa “Eu Quero é Rock” todo sábado a tarde na Rádio Atlântida de Passo Fundo.

            Hoje, dia 23 de outubro, Paulo Casarin está de aniversário. Felicitamos o artista, e desejamos vida longa ao mesmo, e as suas obras.

            *Coluna realizada a partir do bate papo com Paulo Casarin e Enori Chiaparini organizado pelo Arquivo Histórico Municipal Juarez Miguel Illa Font de Erechim no dia do Rock – 13 de julho de 2016.

 

Imagens: Acervo pessoal do artista

 

João Dalbosco. 24 anos, estudante de história, músico e amante da literatura.



Todas imagens
  • Autor: João Dalbosco/ Daiana Varotto
  • Imagens: Acervo pessoal Paulo Casarin

Todo o conteúdo desta coluna é de total responsabilidade de seu autor(a)/publicador(a)!