Agora: Panorama Geral Com: Rafael Boller Agora: Panorama Geral Com: Rafael Boller

Central de Recados

Envie-nos seu recado ou peça sua música aqui!
Seu nome deve conter apenas letras!

Dezesseis ambulâncias que atendem rodovias gaúchas serão retiradas

Data da Noticia 09/04/2015

Dezesseis ambulâncias utilizadas para atendimento de acidentes em rodovias gaúchas serão retiradas de operação a partir da próximas semanas. O convênio de seis meses, firmado em outubro do ano passado entre Secretaria da Saúde e uma empresa privada, previa reforço de equipes em 16 municípios que tinham estruturas atendendo no limite da capacidade, ou que não tinham nenhum tipo de serviço médico.

A gestão do Governo de Tarso Genro alega que o contrato foi assinado, após um estudo que analisou mais de 2200 km de estradas que mais vitimaram pessoas no Estado e que demonstrou a fragilidade do socorro em algumas rodovias. O projeto não atende somente trechos pedagiados, até mesmo alguns federais foram contemplados. Das 16 ambulâncias, oito são avançadas (com equipamentos de UTI) e outras oito básicas.

O governo anterior também ressalta que um termo de referência para realização de um novo processo de licitação foi entregue para o atual. O contrato de três meses foi renovado em dezembro por outros três, com validade até o dia 19 de abril. A Secretaria de Saúde garante, porém, que ele não será renovado. De acordo com o diretor do Departamento de Assistência Hospitalar e Ambulatorial, Alexandre Britto, a pasta entende que não há necessidade de manter o serviço.

"Na época, o governo achou que poderia cumprir com essa obrigação a partir da secretaria da saúde. Neste momento, entendemos que não temos obrigação de fazer contratos deste tipo, uma vez que é obrigação da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) prestar o atendimento", explica.

O diretor também ressalta que o valor do contrato é elevado, de R$10 milhões para seis meses. No ano passado, nenhuma quantia foi paga. Até agora, apenas a parcela de janeiro, de R$1,7 milhão, foi quitada, já que as dívidas de fornecedores contraídas na gestão passada não poderão ser pagas por seis meses em razão do decreto assinando pelo Governador José Ivo Sartori.

A EGR afirma desconhecer detalhes sobre o contrato firmado pela saúde e garante que o convênio com os municípios para atendimento do Samu nas rodovias juntamente com o Corpo de Bombeiros é suficiente para atender a demanda do Estado.

"Esse serviço não tem vínculo nenhum com o nosso sistema, eu não sei nem quais municípios foram contemplados. O que eu posso garantir é que os nosso serviço é suficiente e vamos continuar atendendo a população", destaca o diretor-presidente Nelson Lidio Nunes.

Um funcionários, que prefere não se identificar, conta que trabalha na base do Pedágio de Viamão e de Capivari, na RS-040 e que, até agora, ninguém foi avisado sobre o fim dos contratos. "Temos realizado muitos atendimentos, a população será prejudicada. A maioria que está lá não tem outro emprego. Temos duas semana para achar outras coisa”, afirma.

A reportagem solicitou à Secretaria da Saúde e à empresa responsável pelo contrato, a Medicar, os dados de quantos atendimentos foram feitos no período pelas equipes, mas as informações ainda não foram repassadas. A EGR também não informou quantos convênios firmou com municípios para atendimento nas estradas.

Confira as cidades que perderão os veículos:

Ambulâncias com atendimento avançado:

-Santo Antônio da Patrulha

-Bom Princípio

-Parobé

-Flores da Cunha

-Passo Fundo

-Gramado

-Viamão

-Soledade

Ambulâncias básicas:

-Severiano de Almeida

-Fontoura Xavier

-Tio Hugo

-Três Coroas

-Carazinho

-Capivari do Sul

-Candelária

-Pantano Grande



Todas imagens
  • Autor: Fonte: Rádio Gaúcha
  • Imagens:

Todo o conteúdo desta coluna é de total responsabilidade de seu autor(a)/publicador(a)!