Agora: Parada Pop Com: Programação Automática Agora: Parada Pop Com: Programação Automática

Central de Recados

Envie-nos seu recado ou peça sua música aqui!
Seu nome deve conter apenas letras!

O jogo da mora

Data da Noticia 22/09/2016
Por Yara Bergamo

Oi pessoal, alguém de vocês sabe jogar mora? Sabem as origens do jogo? Então hoje vamos aprender algumas coisinhas sobre esse jogo muito amado pelos nossos antepassados. A mora nasce na antiga Roma e inicialmente se chamava micatio (o verbo mico em latim se refere ao movimento veloz dos dedos). É necessária astúcia, velocidade e intuição; que são as características indispensáveis para os jogadores. 

O jogo da mora é popular em várias regiões da Espanha, França, Eslovênia, Croácia e em muitas regiões da Europa. Esse jogo aparece na Itália em 1324, em Macerata. Provavelmente, os primeiros jogadores foram os pastores que, enquanto cuidavam do rebanho nas montanhas, inventaram o jogo para passar o tempo.

A Mora foi proibida em 1931 pelo regime fascista, por motivo de ordem pública, pois era jogo de azar e por isto quase sempre motivo de brigas violentas. Até hoje é proibido jogá-la em lugares públicos em todo o país, exceto em Trentino Alto Adige.

Apesar destas proibições, numerosos grupos de jogadores conseguem manter vivo este jogo, organizando encontros e torneios que promovem e divulgam esta atividade entre as novas gerações que veem na mora uma maneira de estarem juntos e se divertirem. O jogo parece simples, mas não é.

Os dois jogadores devem abaixar ao mesmo tempo o punho direito, alongando rapidamente um ou mais dedos e gritando um número de dois a dez. Se o número indicado corresponde à soma dos dedos alongados (e o punho fechado vale um), se marca um ponto a favor de quem adivinhou. Se a soma é adivinhada por ambos os jogadores, o jogo é anulado. É complicado mesmo.

Ai meus queridos amigos, hoje mais uma curiosidade para vocês. Buona giornata a tutti e buon gioco della mora!

 



Todas imagens
  • Autor: Yara Bergamo
  • Imagens: Ilustrativa

Todo o conteúdo desta coluna é de total responsabilidade de seu autor(a)/publicador(a)!